quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Rede Globo promoverá campanha anti-homofobia; PL 122 será votada novamente na próxima quinta-feira

Rede Globo promoverá campanha anti-homofobia; PL 122 será votada novamente na próxima quinta-feira
Uma campanha contrária à homofobia será veiculada pela TV Globo, com apoio da Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura) e do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento).
O vídeo, com 30 segundos e slogan “Discriminar homossexuais é crime”, foi assistido pela Presidente Dilma Rousseff e foi aprovado. Segundo informações do blogueiro Julio Severo, a Secretaria Especial de Direitos Humanos divulgou nota afirmando que não foi gasto dinheiro público na produção do vídeo, que foi bancado totalmente pela Rede Globo. Porém, em 2012, o governo federal lançará uma campanha contra a homofobia para atingir toda população, e essa, será bancada com verbas públicas.

Fonte: Gospel+

2 comentários:

Dc. Carlos Torres disse...

Vem chumbo grosso por ai meu irmão!! O povo de DEUS não pode ficar calado! Vamos continuar firme a favor da família!!

Passando para uma visita. Sinto-me sempre honrado com a sua.

http://planosdivinos.blogspot.com

Paz! Deus te abençoe ricamente.

Anónimo disse...

Precisamos deixar de hipocrisia, quem destrói a familia são os próprios heteros com infidelidade conjugal e falta de amor e diálogo.
Os gays, pelo contrário, vieram de uma familia e querem também ter suas próprias, como os estéreis. Mas isto também lhes seria negado
.
O governo federal está correto em bancar campanhas anti homofobia pois gays pagam impostos e são cidadãos. É OBRIGAÇÃO do Estado proteger minorias como gays do preconceito e discriminação, assim como negros e mulheres o fazem. E esclarecer a população sobre o que é homossexualidade segundo a ciência e não segundo dogmas.
Gostem ou não de gays por motivos religiosos, eles fazem e sempre farão parte da sociedade. Homossexualidade não é "comportamental" nem reversível. Ninguém "vira" gay por eles serem mais visíveis. Fazer da vida destes seres humanos um inferno não vai converte-los a Jesus.

Precisam separar direitos civis plenos e pregação religiosa. O Estado é LAICO, não teocrático.