quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Reencontro do pai com o filho perdido


Pai e filho. Um é herói do outro. São inseparáveis. O pai anseia por um momento de folga para estar ao lado do filho. Certo dia marcaram uma pescaria juntos. -Só nós dois papai. Não vamos levar mais ninguém. Feitos os preparativos na véspera, saíram bem cedinho. Ainda sentiam a brisa da manhã quando se dispuseram a atravessar a floresta em direção ao rio.
- Cuidado, meu filho. Não se afaste demais, que você pode se perder.
O menino corria á frente, agarrava-se a um cipó, balançava-se e se adiantava demais. O pai tornava a aconselhar.
- Não se afaste muito. Você pode se perder.
Foi o que realmente aconteceu. O menino desapareceu.

O pobre pai, desesperado, começou a gritar pelo nome do filho. Nenhuma resposta.  Procurou... procurou...nada. Já tinha perdido a esperança, ao cair da tarde, mas continuava gritando e procurando. Foi então que obteve a resposta. Alguns segundos depois deu-se o reencontro. O pai, emocionado, segurava a mão do menino, enquanto dizia:


- Agora você não mais vai se perder. Não vou largar a sua mão.
“E o filho lhe disse: Pai pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho. Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa o melhor vestido, e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés, e trazei o bezerro cevado; e matai-o e comamos e alegre-mo-nos: porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a alegrar-se” (Lc 15:21-24).
                                           
              

          

1 comentário:

Sandro disse...

Graça e paz, sempre!

Passei por aqui para conhecer seu blog.
Estou procurando bons blogs para compartilhar.

Já estou te seguindo.

Ficaria muito feliz se puder me visitar.
Se quiser me seguir também será um prazer para mim.

Abraço em Cristo,

Sandro
http://oreinoemnos.blogspot.com/
Te espero lá.